8 modelos provam que a Gurgel era incrível

Pra quem não sabe, o Brasil já teve uma incrível fabricante de automóveis, desenvolvida pelo engenheiro João Augusto Conrado do Amaral Gurgel, a Gurgel Motores S.A. fabricava veículos 100% nacionais.

Tudo começou em 1969 na Avenida do Cursino, em São Paulo, onde mais tarde mudou sua sede para Rio Claro, em 1975.

Durante 27 anos, a montadora produziu aproximadamente 30 mil veículos genuinamente brasileiros, até o fim em 30 de setembro de 1996.

Gurgel X12 Tocantins

O X12 perdurou por praticamente toda a existência da Gurgel. O X12 Tocantins é um jipe compacto da Gurgel. Em 1976 foi lançada a versão ‘’’TR’’’, e disponíveis com capota de lona ou rígida, contando ainda com o modelo esportivo.

Aaron Brick / Wikimedia

Aaron Brick / Wikimedia

Gurgel G15

O G-15 é um veículo com versões monovolume e picape produzido pela Gurgel. Com design parecido com o X15. Utizava motorização identica a de um outro modelo da marca, o x12, suportava cerca de 1200 quilos de carga. Era um veículo realmente muito funcional.

reprodução

reprodução

Gurgel XEF

O primeiro minicarro da marca. O XEF é um sedan compacto produzido pela Gurgel por 6 anos. Era luxuoso na época de sua produção. Não há estimativa correta a respeito do número de unidades vendidas, mas só 145 unidades foram produzidas.

Olimor / Wikimidia

Olimor / Wikimidia

Gurgel Itaipu

O Itaipu é um modelo de porte mini da Gurgel, sendo o primeiro automóvel com motor elétrico desenvolvido na América Latina.

Esse modelo chegava até 50 km/h, pode não parecer muito, mas levando em consideração que ele tem autonomia de 60 a 80 quilômetros e nos grandes centros brasileiros a velocidade não passa muito disso…

reproducão

reproducão

Gurgel BR-800

Um marco na história da empresa. O BR-800 foi fabricado de 1988 a 1991, quando foi substituído pelo Supermini, sua evolução. A Gurgel Motores S/A funcionou até 1994, mas a marca foi posteriormente adquirida pelo empresário Paulo Freire Lemos em 2004 e voltou a existir hoje. Veículo urbano apresentado em 1987, considerado o primeiro automóvel genuinamente brasileiro. De concepção peculiar e em diversos aspectos avançada para a época, era muito leve e compacto. Lançado ao público em versão definitiva no Salão Anhembi de 1988, teve produção iniciada em 1988, como modelo 1989.

Olimor / Wikimedia

Olimor / Wikimedia

Gurgel Supermini

O Gurgel BR-Supermini é a “evolução” do Gurgel BR-800, ele foi a resposta da Gurgel aos novos 1.0 da concorrência. Seguindo a mesma proposta de seu antecessor, é um carro exclusivamente urbano compacto e econômico, as maiores diferenças estão no desenho mais moderno, acabamento e potência. Diferentemente do BR-800 o Supermini não é 100% brasileiro, o câmbio é argentino. Em relação ao seu desenho, ele ganhou algumas “curvas” que fizeram sua aparência melhorar, agora com um acabamento de melhor qualidade como o painel mais bem desenhado, bancos altos e melhores, interior todo acarpetado e o entreeixos 10 cm maior. A versão SL (a mais comum) contava com equipamentos como conta-giros, relógio analógico, toca-fitas com antena no teto, brake-light, repetidores de pisca no teto, banco traseiro bi-partido e outros, enquanto seus concorrentes na faixa dos 1.0 sequer ofereciam retrovisor do lado direito ou encostos de cabeça.

Marcelo Bezerra Cavalcanti

Marcelo Bezerra Cavalcanti

Gurgel Motomachine

O Gurgel Motomachine era um veículo à primeira vista estranho, era excepcionalmente quadrado, pequeno e que podia carregar apenas dois ocupantes com pouquíssimas bagagens. O detalhe mais óbvio e aparente, eram suas portas, que eram compostas de acrílico, permitindo ao ocupante ver o chão rodando e causar a sensação de liberdade que se tem em uma moto. Possuía um motor simples e pequeno, porém muito versátil, tinha 800 cilindradas.

Henrique Dombroski / Wikimedia

Henrique Dombroski / Wikimedia

Gurgel Carajás

O Gurgel Carajás foi o maior utilitário fabricado pela Gurgel. O grande porta-malas e o relativo conforto o diferenciavam dos demais jipes nacionais. Produzido nas versões Standard, LE e VIP, os modelos inicialmente planejados seriam: MM (Modelo Militar), TL (Teto Lona), RL (Rígido Lona) e TR (Teto Rígido), mas somente o último foi produzido em série. A partir de 1988 foi oferecida a versão com 4 portas, tendo a traseira mais longa e o teto pouco mais alto.

Marcelo Bezerra Cavalcanti / Wikimedia

Marcelo Bezerra Cavalcanti / Wikimedia

Deixe seu comentário:

+ Tecnologia

Project Sonic 2017: Como será Sonic Forces? Veja o trailer do jogo
Project Sonic 2017: Como será Sonic Forces? Veja o trailer do jogo
Google homenageia Lotta de Macedo Soares
Google homenageia Lotta de Macedo Soares
Lojas online apostam no Dia do Consumidor 2017
Lojas online apostam no Dia do Consumidor 2017
‪‪Gilberto Kassab‬‬ fala sobre limite da banda larga fixa
‪‪Gilberto Kassab‬‬ fala sobre limite da banda larga fixa

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,