A água potável pode acabar no mundo?

A água potável pode acabar no mundo?
Alan Corrêa

Mesmo sendo um elemento fundamental para o mundo todo, a água vem sendo cada vez mais escassa tanto em quantidade quanto em qualidade.

Os inúmeros desperdícios colaboram com a escassez (que fica cada dia mais próxima), fazendo com que logo esse bem vital se torne raro de ser encontrado, além de custar um alto preço.

O relatório anual das Nações Unidas tem péssimas notícias para o nosso futuro. A ONU prevê que em 2050, mais de 45% da população mundial não terá sequer a quantidade mínima individual de água para necessidades básicas. Segundo consta em dados estatísticos, existem hoje 1,1 bilhão de pessoas praticamente sem acesso à água doce. E essas mesmas estatísticas ainda projetam algo pior em pouco mais de 40 anos, quando a população estiver na média de 10 bilhões de pessoas.

Sabendo de todas essas informações, estima-se que a próxima guerra mundial vai ser por causa da água, e não do petróleo, como alguns acreditam.

Estima-se que cerca de 50% da população consuma água poluída nos países em desenvolvimento, e pelo menos 2,2 milhões de pessoas morrem por consumirem água contaminada e sem tratamento. Estudos ainda apontam que existem nos dias de hoje, cerca de 1,1 bilhão de pessoas que praticamente não têm acesso à água potável.

Um fator que reduz muito a água doce é a poluição. Cerca de dois milhões de toneladas de lixo (incluindo dejetos humanos e animais, componentes industriais, químicos e resíduos agrícolas como fertilizantes e herbicidas) são jogados todos os dias nas fontes receptoras. Estudos apontam que a produção mundial de águas residuais é de aproximadamente 1.500 quilômetros cúbicos. Se 1 litro desse lixo todo pode poluir 8 litros de água doce, a carga mundial de poluição pode ascender, atualmente, a 12.000 quilômetros cúbicos. E claro, as populações mais prejudicadas são sempre as mais pobres.

No ano 2000, houveram de 2,2 milhões de mortes por diarreias, causadas por falta de sistemas de tratamento ou de higiene! Se essas catástrofes já acontecem hoje em dia, imaginemos daqui a alguns anos…

O número de vítimas de inúmeros desastres naturais aumentou de 147 para 211 milhões em cada ano, entre 1991 e 2000. Nesse tempo todo, mais de 665.000 pessoas faleceram em 2.557 desastres naturais, dos que mais de 90% tiveram a ver com a água ou em falta, ou sem tratamento. A Ásia e a África são sempre os continentes mais prejudicados.

A causa de 425 mortes foi a seca, causadas por vários tipos de desastres naturais. As enchentes originaram por volta de 50%, enquanto as doenças transmitidas pela água e vetores mataram 285 pessoas. Mas o que mais chama a atenção, é que 97% das mortes ocorreram nos países em desenvolvimento, ou seja, os que mais sofrem com a falta de água potável.

Se os governos não se unirem e as pessoas não passarem à ter consciência do quanto gastam água potável desnecessariamente, nosso futuro ainda pode ser um pouco diferente do que os especialistas preveem.

Texto: Evelyn Cristina.

Deixe seu comentário:

+ Ciência

Colocar um bola quente de metal em uma espuma floral rende alguns resultados inesperados
Colocar um bola quente de metal em uma espuma floral rende alguns resultados inesperados
Dos tipos de aranha, essa é a mais fofa
Dos tipos de aranha, essa é a mais fofa
Entenda porque esse cara está jogando sal na areia da praia
Entenda porque esse cara está jogando sal na areia da praia
Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,