Gangrena Gasosa. Se Deus é 10, Satanás é 666

Gangrena Gasosa não é nenhuma banda satânica, e sim uma banda muito, muito engraçada. E no mais, inventaram mais um subgênero dentro do heavy metal: o Saravá Metal. Desde o início da década de 1990 a banda vem se apresentando (ou assustando) muita gente. Álbuns com nomes no mínimo curiosos como “Smells Like a Tenda Spírita”, “Welcome to Terreiro”; canções com títulos não menos engraçados: “Matou a Galinha e Foi ao Cinema”, “Despacho From Hell”, “Benzer até Morrer”, “Trabalho Pra 20 Comer”, “Centro do Pica-Pau Amarelo” e “Quem Gosta de Iron Meiden Também Gosta de KLB”, são apenas uma amostra do metal de terreiro da Gangrena Gasosa.

Agora é lançado o novo álbum dos cariocas “Se Deus É 10, Satanás é 666” de forma independente – o que já de se esperar no país do pop sertanejo apresentado como pop/rock – pela Tamborete Records. O novo trabalho não é de todo feito apenas de novidades. Há regravações: “Fist Fuck Agrédi” e “Artimanhas Do Catiço”, por exemplo, a inclusão do EP “6/6/6”. A produção desta vez está bem melhor e as regravações chegam a serem superiores às originais, o que foi a justificativa, segundo a banda.

O processo do disco começou em 2004, que marcou o retorno do grupo depois de quatro anos, tempo esse que quase levou ao fim da banda. Reformulada, a Gangrena Gasosa engrenou com o EP “6/6/6” e retornou a maratona de shows pelo país. Segundo a banda, o titulo do álbum “Se Deus É 10, Satanás é 666” deixa claro que no Céu é bem ruim, cheio de crentes distribuindo panfletos, enchendo o saco, e o inferno é bem melhor.

Se você nunca foi num terreiro de macumba, candomblé ou umbanda, não se preocupe. A Gangrena Gasosa leva ao palco todas as figuras conhecidas das religiões afro-brasileiras como Exú, Omulú, Zé Pelintra e Pomba Gira. O som lembra Ratos de Porão (uma das influências da banda), Raimundos, Catapulta e muita percussão de terreiro. A origem do nome veio ao assistirem o programa “Comando da Madrugada” comandado por Goulart de Andrade, no qual em um tema sobre remédios, apareceu um cara com gangrena gasoso e pensaram que daria um bom nome para uma banda.

No começo, queriam ser os representantes do Black Metal brasileiro, mas isso não rolou. Além do mais, não tocavam muito bem. Portanto, entraram numa de se vestirem de “entidades”, mesclando o metal com sons de macumba. Para quem não tem dinheiro para comprar material pra trabalho de encruzilhada não há problema. Basta ir ao show deles que receberá arremessos de galinhas, cachaça, rosa, farofa diretamente do palco.

Deixe seu Comentário