Greve nos correios continua, mas cartas deverão ser entregues

Portal Bagarai

Greve Correios 2011

Greve Correios 2011

Nesta quarta-feira(14) os servidores dos correios começaram uma greve (leia mais) e a grave deve continuar durante essa quinta-feira. Em nota divulgada ontem, os Correios afirmam que apesar de todos os esforços da empresa, a paralisação foi deflagrada a partir desta quarta e que a ECT trabalha para normalizar a situação o mais rápido possível e está adotando uma série de medidas que garantem o atendimento à população brasileira.

Nesta quinta o Correios informou que durante coletiva realizada em Brasília, o presidente dos Correios, Wagner Pinheiro de Oliveira, informou que a empresa mantém a entrega diária de cartas e encomendas, embora exista a possibilidade de atrasos devido à paralisação iniciada nesta quarta-feira (14). “Não houve interrupção da entrega de objetos. Dos 35 milhões de objetos que os Correios entregam diariamente, 5,3 milhões não foram entregues hoje e devem seguir com atraso”, explicou.

Pinheiro conclamou os trabalhadores da empresa a encerrar a paralisação, frisou que a retomada das negociações sobre o acordo coletivo está condicionada ao retorno às atividades e que haverá desconto dos dias parados.

O executivo destacou os benefícios da proposta que a empresa havia feito na segunda-feira — que representava um aumento salarial final de 13% para 64.427 empregados, ou seja, 60,14% do efetivo total da empresa. Com o início da paralisação, a proposta foi retirada. “Na conjuntura atual, em que existe uma preocupação com a crise financeira internacional, entendemos que um reajuste de 13% no piso salarial é bastante relevante. Só podemos lamentar a decisão tomada e chamar os trabalhadores a retornar para as atividades”.

Ao longo dos últimos oito meses, a gestão da ECT tem sido marcada pela negociação. Os Correios assinaram dois acordos de PLR (um relativo à PLR 2010, já paga, e outro relativo à PLR 2011, que será paga no próximo ano e terá uma parcela antecipada para dezembro).

A empresa ainda realizou concurso público para quase 10 mil trabalhadores — mais de 2 mil já foram contratados e o restante estará trabalhando até novembro.

Números da greve

A paralisação atinge, em média, 32% do efetivo total da empresa — em alguns setores, alcança 40%. Os Correios suspenderam os serviços SEDEX 10, SEDEX Hoje e Disque-Coleta, por se tratar de serviços com horário marcado.

Correios tenta normalizar a situação

Entre as possíveis medidas para normalizar o serviços estão a contratação de recursos, realocação de pessoal, realização de horas-extras e trabalho nos finais de semana. O Correios já colocou em operação um plano de contingência para minimizar os prejuízos à população.


+ Brasil

Find us on Twitter